Sábado, 31 de Outubro de 2009
Maradona convoca Di María e Aimar para jogo com a Espanha

O seleccionador argentino, Diego Armando Maradona, convocou os benfiquistas Pablo Aimar e Angel Di María para o jogo particular que a selecção das pampas vai disputar com a Espanha.

O jogo está marcado para 14 de Novembro, e na lista de ‘El Pibe’ destaca-se ainda a estreia nos convocados de Cristian Ansaldi, do Rubin Kazan (Rússia). Para este jogo foram apenas convocados futebolistas que actuam na Europa.


Guarda-redes: Sergio Romero (AZ Alkmaar), Mariano Andujar (Catania).

Defesas: Fabricio Coloccini (Newcastle), Martin Demichelis (Bayern), Gabriel Heinze (Marselha), Nicolas Pareja (Espanyol), Cristian Ansaldi (Rubin Kazan).

Médios: Jonas Gutierrez (Newcastle), Maximiliano Rodriguez (Atletico Madrid), Javier Mascherano (Liverpool), Fernando Gago (Real Madrid), Esteban Cambiasso (Inter), Angel Di María, Pablo Aimar (Benfica).

Avançados: Lionel Messi (Barcelona), Gonzalo Higuain (Real Madrid), Carlos Tevez (Manchester City), Sergio Agüero (Atletico Madrid), Ezequiel Lavezzi (Nápoles).

Patrícia às 14:53
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Outubro de 2009
Benfica 6 - 1 Nacional

@ SL Benfica

 

O Benfica é o novo líder do campeonato, depois de golear o Nacional por 6-1 e beneficiar do empate do Sp. Braga em Vila do Conde. Nove meses depois, os encarnados regressam ao primeiro lugar, uma semana antes de visitarem o líder deposto.

Foi, uma vez mais, o Benfica das goleadas (ou touradas, tantos os «olés», além da confusão no túnel ao intervalo) a apresentar-se em cena, aquele que se agiganta na arena quando espicaçado. Fica o aviso, mais um. A quarta goleada da época (8-1 ao V. Setúbal, 4-0 ao Belenenses e 5-0 ao Leixões), a segunda consecutiva (e que o Everton dificilmente esquecerá), surgiu com a naturalidade de quem ambiciona ser campeão e não foi preciso... prometer.

 

Sete golos, o do Nacional em fora-de-jogo, um bem anulado a Saviola pelo mesmo motivo, duas grandes penalidades convertidas (uma forçada por Aimar), três grandes defesas de Bracali e duas expulsões foram os ingredientes de um jogo, desde logo temperado pela rivalidade de dois treinadores que não se suportam.

 

Jorge Jesus antecipou as dificuldades, só não imaginou que César Peixoto se lesionaria no aquecimento. A emenda foi determinante, com Fábio Coentrão a brilhar em campo e a mostrar que é jovem mas pensa como adulto. Já Manuel Machado alterou uma equipa que se adapta a qualquer esquema, deixando no banco Pecnik, uma das figuras de Bilbau.

 

Leandro Salino também ficou, entrando Tomasevic para a defesa, Edgar Costa para o miolo e João Aurélio para a frente.

 

O Nacional chegou à Luz com estatuto de quarto classificado, que partilha com Sporting, Rio Ave e Marítimo, e o acerto na estratégia durou 17 minutos, altura em que o Benfica inaugurou o marcador. Até então, falhavam ambos no último passe, com as defesas a mostrarem argumentos, ainda que Edgar Costa tenha protagonizado o primeiro remate do desafio logo aos seis minutos e que Quim desviou para canto.

 

Tudo fácil para os encarnados. Aimar colocou na esquerda, Coentrão cruzou rasteiro e Cardozo empurrou com afinação. Cinco minutos depois, Bracali negou o 2-0 a Di María.

 

Ruben Micael, que tanto queria marcar, acabou por assistir Edgar Costa no empate, aos 28 minutos. O avançado ganhou na corrida, bateu Quim com um remate na passada, mas estava adiantado.

 

Mais protestos se seguiriam, depois de Vasco Santos anular o golo de Saviola. Di María, de livre, colocou na área, Luisão antecipou-se à defesa e cabeceou para defesa incompleta de Bracali. Na recarga Saviola colocou dentro da baliza, mas o fora-de-jogo foi desta vez assinalado e bem.

 

Ainda antes do intervalo mais uma grande defesa de Bracali, a remate à queima-roupa de Ramires, também antes do intervalo o 2-1, por Saviola. Fábio Coentrão serviu o argentino e este cabeceou para a vantagem.

 

Os quatro dedos de Jesus

 

O segundo tempo arrancou com uma grande penalidade. Aimar sentiu a proximidade de Felipe Lopes e deixou-se cair, o castigo máximo foi assinalado. Cardozo encarregou-se de marcar e... não falhar.

 

Entrou Mateus, depois Pecnik no Nacional, mas foi o Benfica quem continuou a pressionar. Coentrão fugiu na esquerda, cruzou para Cardozo, este atrapalhou-se, mas ainda conseguiu servir Saviola, que atirou para o 4-1. Jorge Jesus virou-se para o banco do Nacional e mostrou quatro dedos, o número de golos marcados, em jeito de provocação.

 

A segunda provocação, a da vitória consumada, mas não ainda por estes números, deu-se aos 70. Saíram Aimar e Saviola, entraram Carlos Martins e Ruben Amorim. A gestão. O médio acabou por sair lesionado para a entrada de Nuno Gomes, seguiram-se mais dois golos, um do avançado, e a festa encarnada.

 

Nunca uma segunda-feira terá sido tão reconfortante, sobretudo para os mais de 47 mil adeptos presentes no Estádio da Luz. No final, buzinas na rua.

Fonte: MaisFutebol

 

 

@ SL Benfica

 

Avaliações

 

Di María, 8 - Nova exibição de luxo, salpicada com pormenores de fazer levantar os adeptos das cadeiras. Começou por fazer estragos à esquerda - obrigou Bracali a aplicar-se aos 22' e isolou Ramires (38') - e, na direita, a toada prosseguiu. Excelente o passe para Fábio Coentrão no lance que culmina no 4-1. (in O JOGO)

 

Di Maria - O espaço que Fábio Coentrão teve para brilhar esta noite deve-o, em grande parte, aos movimentos deste argentino que não sabe estar quieto. Esta noite não marcou, embora tenha tido uma oportunidade soberana para isso, nem fez assistências, mas, quem viu o jogo, tinha a certeza que iria figurar nesta lista de destaques. É ao acelerador desta equipa. Quando carrega no pedal, arrasta toda a equipa atrás dele. (in MaisFutebol)

Sábado, 24 de Outubro de 2009
“Queremos o Estádio cheio”

 

O argentino Angel Di María fez este sábado, em entrevista conjunta do Site Oficial do Benfica e da Benfica TV, a antevisão do jogo de segunda-feira da Liga portuguesa com o Nacional. O extremo espera dificuldades por parte dos madeirenses e conta com o apoio dos adeptos, numa partida em que será comemorado o 6.º aniversário do Estádio da Luz.

“Creio que vai ser como todos os jogos. Um encontro difícil e que o Nacional vai querer ganhar para estar nos primeiros lugares”, afirmou o número 20 “encarnado”, que acredita que o Nacional poderá acusar “um pouco de cansaço por estar também a jogar na Liga Europa”.

Di María tem estado em evidência nos últimos encontros, tendo feito três assistências na goleada (5-0) frente ao Everton. Questionado sobre a possibilidade de ser alvo de marcação individual no encontro da 8.ª jornada da Liga portuguesa, o futebolista mostrou-se pouco preocupado: “Para mim é igual. Vou fazer o que tenho de fazer, tentar movimentar-me da mesma maneira. Estou muito bem.”

No desafio da temporada anterior, a equipa “encarnada” empatou em casa (0-0) com o Nacional, mas Di María lembra que “o Benfica está muito diferente em relação à época passada”, pelo que o objectivo é somar mais três pontos. “Estamos a dar tudo nos jogos para que os adeptos venham ao Estádio. É uma motivação e espero que na segunda-feira o Estádio esteja cheio e que tudo corra bem”, acrescentou.

Depois da partida com a formação de Manuel Machado, o Benfica desloca-se ao terreno do Sp. Braga. Di María não tem dúvidas: “Vão ser duas finais. Para sermos campeões temos de ganhar todos os jogos.”

A confiança reina no grupo, sendo que o último jogo da Liga Europa contribuiu ainda mais para isso. “O Everton é uma equipa muito grande em Inglaterra e ganhar 5-0 dá muita motivação para os próximos jogos”, afirmou.

Di María não marcou nenhum dos golos frente ao Everton, mas a equipa ganhou com os seus passes bem medidos: “É mais importante fazer as assistências do que fazer um golo. Fiz três assistências e é muito bom.” Nesta altura já são poucos os jogadores do plantel que ainda não marcaram pelo Benfica na presente temporada e o atleta considerou que isso “é bom não só para os jogadores, mas também para a equipa.”

O argentino voltou a destacar a confiança dada pelo técnico Jorge Jesus para estar a atravessar um bom momento: “As coisas estão a sair bem e, por isso, estou a aprender dia-a-dia cada vez mais. Tenho a confiança do mister para ser titular.”

Selecção Argentina

Di María também não escondeu a sua felicidade por estar a ser opção na selecção do seu país: “Depois de quatro jogos de fora por castigo, o Maradona voltou a convocar-me e fui titular nos últimos dois jogos. Estou muito contente por isso e pela qualificação para o Mundial, mas agora tenho de pensar no Benfica.”

O número 20 e o compatriota Pablo Aimar foram chamados pelo seleccionador argentino para os últimos jogos. Sobre a possibilidade de Saviola também poder ir ao Campeonato do Mundo de 2010, Di María acredita que isso é possível: “O Saviola é um grande jogador, sempre foi. Está a marcar golos e a jogar muito bem. Há muitos avançados na selecção Argentina, mas penso que tem possibilidade de ir ao Mundial.”

 

Texto: Rui Manuel Mendes

Fonte: SL Benfica

Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009
Benfica 5 - 0 Everton

@ SL Benfica

 

O jogo frente ao Everton não era determinante, segundo Jorge Jesus. Ainda assim existia a certeza de que uma vitória iria renovar esperanças e que um mau resultado podia ter efeitos negativos que iam além da pontuação. O Benfica goleou o Everton, por 5-0, e poderá encarar os próximos três jogos com optimismo.

 

 

David Moyes chegou «impressionado» e deve ter saído ainda mais. O treinador do Everton disse, antes da partida, que via «um novo Benfica, atacante e excitante». Realmente foi isso que se pôde ver durante a segunda parte do encontro da Liga Europa.

 

Os encarnados atravessam um bom momento na Liga, a Luz tem sido palco de goleadas, mas na Europa o conjunto orientado por Jorge Jesus vinha de uma derrota, frente ao AEK. Por isso, o discurso de Jorge Jesus foi no sentido de acautelar os adeptos para todas as possibilidades. O técnico pareceu querer evitar euforias, mas também o medo de fracassar na montra europeia.

 

Jesus fez alterações no onze, em relação ao jogo da Taça, frente ao Monsanto. Luisão, Cardozo, Ramires, Aimar, Di María e Saviola regressaram ao onze. Júlio César mantém-se na baliza nas partidas da Liga Europa.

 

Durante a primeira parte existiu algum equilíbrio, mas o Benfica mostrou alguma superioridade perante o adversário. Uma diferença mínima que valeu um golo, aos 14 minutos. O cruzamento foi de Di María e Saviola marcou. Os encarnados mostraram-se mais perigosos e Tim Howard e o sector defensivo tiveram mais trabalho que Júlio César.

 

Para além de a defesa do Everton se mostrar bastante eficaz, durante a primeira parte, faltou algo ao Benfica. A luta e a vontade estavam lá, mas faltou o entusiasmo ou a capacidade de entusiasmar quem se deslocou ao estádio.

 

O intervalo chegou com os encarnados a vencerem por 1-0. Um resultado perigosamente escasso, mas que se aceitava. O Everton mostrou querer discutir o resultado, ainda que não tivesse criado ocasiões de golo. Aí foi onde o Benfica desequilibrou. Criou oportunidades (ainda que escassas). Marcou. Foi mais eficaz.

 

@ SL Benfica

 

O que terá feito Jesus?

 

Não se sabe o que Jorge Jesus disse aos seus jogadores durante o intervalo. Mas pouco importa. O mais importante é que resultou. Os encarnados entraram com tudo. Só deu Benfica. Em sete minutos a equipa da casa marcou três golos.

 

Aos 47 minutos, Aimar segurou o tempo suficiente para dar a bola a Saviola, que cruzou para Cardozo finalizar. O 3-0 surgiu no minuto seguinte, através do paraguaio. Di María cruzou para o camisola 7 marcar de cabeça.

 

Aos 52 minutos, Luisão subiu para ajudar a ampliar os números, numa altura em que a Luz festejava, fazendo lembrar outras noites europeias. Volvidos quatro minutos o marcador poderia ter passado para 5-0. Di María, que fez uma grande exibição, atirou à trave. O argentino esteve perto de fazer um grande golo. Merecia fazê-lo.

 

Goleada à antiga

 

Aos 83 minutos surgiu o 5-0. Grande trabalho de Di María, na esquerda, e Saviola facturou mais um golo. O Everton tentou o tento de honra, aos 79 minutos, mas Saha atirou ao poste.

Os encarnados conseguiram o melhor resultado de sempre frente a equipas inglesas, na Luz - em 1961/62 o Benfica bateu o Tottenham por 3-1. Mas mais importante que isso, o Benfica garante seis pontos e lidera o Grupo I, já que o AEK Atenas perdeu com o BATE Borisov.
 

Fonte: MaisFutebol

 

@ SL Benfica

 

Avaliações

 

 

Di María - Dizem que os ingleses são bons no jogo aéreo. Di María provou-lhes que também é preciso saber jogar a bola no chão. O esquerdino número 20 foi um verdadeiro diabo vermelho à solta na Luz. Numa mudança acima do resto da equipa, Di María desequilibrou o encontro para os encarnados, depois das emoções da qualificação para o Mundial-2010 e o descanso merecido na Taça de Portugal. O cruzamento para o primeiro golo de Saviola foi primoroso, bem medido, sobretudo. Mais do que isso, retirou poder aéreo aos ingleses e foi direitinho ao pé direito do compatriota. Tal como o cruzamento para o 3-0, certinho para a cabeça de «Tacuara» Cardozo. Uma partida gigantesca, com um pouco de tudo, dribles, assistências, remates à trave e um excelente trabalho defensivo. P.S.-sem esquecer mais um passe mortífero para o segundo golo de Saviola. (in MaisFutebol)
 
Di María, 9 - Justificou, e de que maneira, o bilhete pago pelos quase 40 mil adeptos, e só lhe faltou o golo. Rápido, incisivo, arrancou vários cruzamentos venenosos e até parecia que ia de mota quando ganhou espaço para oferecer o 3-0 a Cardozo. Entre pormenores deliciosos, atirou à barra, e montou-se novamente na mota para entregar de bandeja o 5-0 a Saviola. Memorável. (in O JOGO)
 
Di Maria – Começou a partida do lado direito do ataque, arrancando uma falta logo nos primeiros segundos. Estava dado o mote para uma boa exibição. O argentino rapidamente passou para o flanco esquerdo e a esta hora o defesa-direito do Everton, Dan Gosling, ainda deve estar com dores nos rins. Além de fazer os cruzamentos para três dos cinco golos do Benfica, o número 20 do plantel esteve muito perto de fazer o gosto ao pé aos 54 minutos. O remate do sul-americano esbarrou na trave. (in SL Benfica)
 
@ SL Benfica
 
Declarações
 
 
Di María: «Golos foram surgindo naturalmente»
 
O argentino Di María foi uma das figuras do Benfica no encontro em que os encarnados golearam (5-0) o Everton e fez questão de salientar que a turma da Luz fez "um grande jogo", admitindo ter feito "uma boa exibição" porque o treinador "lhe transmite confiança".
"Entrámos muito fortes na segunda parte e os golos foram surgindo naturalmente, o que tornou tudo mais fácil", referiu o extremo benfiquista, sublinhando que isso "aumentou a confiança e motivação" da equipa.
O internacional argentino salientou ainda que o Benfica "deu um grande passo" para seguir em frente na Liga Europa, colocando-se na liderança do Grupo I, em igualdade com a equipa inglesa.
Fonte: Record
Domingo, 18 de Outubro de 2009
Taça de Portugal: Mosanto 0 - 6 Benfica

Nem foi preciso deslumbrar. Ao Benfica bastou encarar o jogo com seriedade, para vencer o Monsanto e seguir em frente na Taça de Portugal (0-6). A equipa de Jorge Jesus foi rigorosa e soube explorar o desânimo do adversário, no segundo tempo, para garantir mais uma goleada.

 

@ SL Benfica

 

Nos minutos iniciais o Benfica revelou alguma falta de entrosamento, por força das várias novidades apresentadas no «onze». A circulação de bola era algo lenta, e as combinações estavam pouco oleadas, mas ainda assim a equipa de Jorge Jesus começou cedo a criar perigo junto da baliza do Monsanto. Faltavam as rotinas de um «onze» mais tradicional, mas um domínio pouco asfixiante chegou, ainda assim, para chegar ao golo à passagem da meia hora. Felipe Menezes trabalhou bem à entrada da área e inaugurou o marcador, apontando o seu primeiro golo de águia ao peito.

 

A defesa do Monsanto mostrou-se sempre vulnerável, mas o meio-campo revelou uma boa capacidade técnica. Ao ataque de Vítor Alves faltava «timing» para aproveitar os passes de ruptura.

 

@ SL Benfica

 

Martins destrói a esperança do Monsanto

 

O início do segundo tempo começa praticamente com o segundo golo do Benfica, a sentenciar o encontro. Nuno Gomes aproveitou um deslize de René e serviu, de bandeja, o golo de Carlos Martins (47m). O mesmo jogador aumentaria a vantagem onze minutos depois.

 

Com três golos de vantagem Jorge Jesus aproveitou para lançar dois jogadores que ainda não tinham disputado qualquer jogo oficial na presente temporada: Mantorras e Miguel Vítor.

 

Destruída animicamente ao segundo golo, a equipa do Monsanto ainda chegou aos seis sofridos. Saviola (84m), César Peixoto (belo golo de livre directo, aos 89m) e Fábio Coentrão 90m) deram volume à goleada. 
 

Fonte: MaisFutebol

Domingo, 11 de Outubro de 2009
Argentina garante vitória nos descontos

@ Daylife

 

A selecção argentina, com Aimar e Di María (Benfica) na equipa, revelou esta noite muitas dificuldades para derrotar o Peru (2-1), com Rodriguez (Sp. Braga). O golo da vitória apenas surgiu no terceiro minuto do período de compensações.

O avançado Higuain, do Real Madrid, colocou a Argentina em vantagem no marcador, quando estavam decorridos 47 minutos, mas aos 90 minutos o Peru acabou por empatar a partida, por Rengifo. A situação no apuramento para o Mundial2010 poderia ficar mais complicado para a selecção das Pampas, só que aos 93 minutos o avançado Palermo garantiu a vitória dos pupilos de Maradona.

 

Fonte: A BOLA

Terça-feira, 6 de Outubro de 2009
Paços de Ferreira 1 - 3 Benfica

@ SL Benfica

 

O Benfica resistiu à chuva, às ausências, ao desgaste psicológico pelo desaire na Liga Europa. Em Paços de Ferreira, a formação de Jorge Jesus voltou a alimentar uma empatia crescente com milhões de adeptos encarnados. Missão cumprida sem sobressaltos, na 100ª vitória do treinador no campeonato nacional (1-3).

 

Paulo Sérgio anunciou o seu onze de véspera mas cedo percebeu que serviria apenas de banda de apoio ao espectáculo principal. A abnegação pacense, na etapa complementar, não apaga o brilho das águias na primeira metade. Este Benfica mais português, face às alterações forçadas, apresenta uma dinâmica imune a cenários adversos. Compreende-se o relaxamento final, num ciclo intenso de jogos.

 

Megaprodução por todo o país

 

Luzes, vénia, acção! A digressão do Benfica, com trejeitos de megaprodução, continua a encantar adeptos em vários pontos do país. A comitiva chega no veículo oficial, altiva mas sorridente para uma massa humana sem paralelo. Com sol, com chuva, eles estão sempre lá. Nem sempre os mesmos. Mas igualmente ruidosos. O grupo agradece e retribui. Vale a pena, o espectáculo.

Ninguém olha a preços e sacrifícios, quando sente a onda encarnada a chegar. O Estádio da Mata Real rebentaria pelas costuras, se as tivesse. Os adeptos do Benfica estão por todo o lado. Sentados, em pé, amontoados nas escadas. Não importa. Quando a equipa está bem, meio país regozija-se. Graças a Jesus.

O Benfica apresentava-se na Capital do Móvel sem três artistas hispânicos. Pablo Aimar, o maestro pós-Rui Costa, parecia demasiado imponente para viajar sem deixar saudades. Di María tem Fábio Coentrão como substituto, Ruben Amorim não destoa quando falta Maxi Pereira. O problema estaria ali. Estaria, mas não esteve. Em 22 minutos, Carlos Martins fez uma assistência e um golo. Esta febre tem efeitos contagiantes.

A equipa de Jorge Jesus tem mais golos, mais golos de cabeça, mais cantos, mais remates, mais faltas sofridas que qualquer outra na Liga portuguesa. Sofre uma derrota europeia, regressa a Portugal e abre novamente as asas, olhando adversários de cima para baixo. Resta aguardar pela resposta deste Benfica frente a iguais, com o Sp. Braga já à espera.

 

Quatro minutos de incerteza

 

Em Paços de Ferreira, a incerteza perdurou por curtos quatro minutos. Como as coisas são. A equipa da casa conquistou um canto. Cardozo aliviou, Saviola arrancou e serviu Fábio Coentrão. Em meia dúzia de toques, a bola estava na outra baliza. Jorginho chegou para adiar o golo, cedendo canto. Esforço inglório.

Carlos Martins ajeitou a bola, olhou para David Luiz e cruzou, com Danielson a pensar na sua vida, certamente. O central pacense ficou parado e o compatriota encarnado agradeceu, marcando pelo terceiro jogo consecutivo. David Luiz acertou na própria baliza em Leiria, mas compensou o erro com golos frente a Leixões e P. Ferreira. Estava feito o mais difícil.

Leandrinho ainda fez umas traquinices, procurando chegar à baliza de Quim. Puros fogachos. Do outro lado, Cássio brilhava aos pés de Cardozo e Saviola. O guardião pacense agigantava-se na área, mas não conseguiu segurar dois petardos de meia distância, antes do intervalo. Carlos Martins deu o mote, de bola corrida, e Cardozo desenhou o arco perfeito, na conversão de um livre directo.

O Benfica chegava ao terceiro golo e o avançado paraguaio fugia a Falcao na lista dos melhores marcadores da Liga. 8 tentos em 7 jogos para Cardozo, num total de 24 para os encarnados! Com uma média de 3,5 golos por jornada, quem se importa com a chuva para ver um espectáculo destes? Na etapa complementar, Felipe Menezes deu uns toques, Cristiano fez mais pelo Paços e remou contra a maré, até ao golo de honra, apontado de Maykon (68m). Merecido, por sinal.

 

Fonte: MaisFutebol

Segunda-feira, 5 de Outubro de 2009
[Actualizações] Di María renova pelo Benfica até 2015

O Benfica anunciou, esta sexta-feira, ter chegado a acordo com o internacional argentino Angel Di María para renovar o seu contrato por mais três temporadas, ou seja, fica ligado ao clube da Luz até 2015. A cláusula de rescisão também foi aumentada e passa agora para os 40 milhões de euros.

Di María tinha contrato com o Benfica até 2012, mas a direcção decidiu que chegou o momento ideal para prolongar o seu vínculo e o jogador também concordou em renovar por mais três temporadas.

 


«Espero ficar muitos anos» - Di María

 

O avançado argentino Angel Di Maria mostrou-se hoje muito feliz por ter chegado a acordo com o Benfica para renovar contrato. Na Luz, diz, espera jogar muitos anos e, para já, deseja uma vitória dos seus companheiros frente ao Paços de Ferreira.

«Estou muito contente por ter renovado. Fico ainda mais motivado. Espero ficar muitos anos no Benfica porque me sinto muito feliz aqui», disse hoje à Benfica TV o número 20 das águias, de apenas 21 anos.

Angel Di María renovou contrato com as águias por mais três temporadas, com respectivo aumento salarial e neste momento faz um «balanço muito positivo» da temporada do Benfica, que considera estar «a crescer a cada dia».

Ausente do jogo com o P. Ferreira, segunda-feira, Di María desejou que «corra tudo bem» e que os companheiros «façam o melhor possível para que o Benfica vença».
 

Fonte: A BOLA


  

Paços de Ferreira - Benfica

 

Lista de convocados:

 

Guarda-redes: Quim e Júlio César;
Defesas: Luisão, David Luiz, Shaffer, César Peixoto, Sidnei e Luís Filipe;

Médios: Rúben Amorim, Ramires, Fábio Coentrão, Carlos Martins, Felipe Menezes e Javi García;

Avançados: Nuno Gomes, Saviola, Cardozo, Weldon e Keirrison.



Criado em Abril de 2008, .:: Angel Di María 20 ::., é um blog de homenagem ao internacional argentino que representa a camisola 20 dos “encarnados” actualmente. Aqui poderás encontrar notícias, informações e até mesmo algumas curiosidades sobre Angelito.
Como benfiquista que sou, não deixarei de expressar também o meu apoio incondicional ao Sport Lisboa e Benfica, aqui neste espaço.
Para sugestões, mensagem de apoio ao jogador e/ou ao SL Benfica, entre outras coisas mais, poderás sempre contactar-me através do meu e-mail ou mesmo deixando um comentário no blog. Obrigado pela visita,
Patrícia Lobo


Segue o blog no:

Participação em:



Nome completo:

Angel Fabian Di María
Data de Nascimento:
14 de Fevereiro de 1988
Idade:
22 anos
Local de Nascimento:
Rosario, Argentina
Altura:
1,80m
Peso:
75kg
Clube actual:
Sport Lisboa e Benfica
Posição:
Médio
Camisola:
Nº 20

No Benfica

Treinador que o lançou:
José António Camacho
Treinadores: Fernando Santos, José António Camacho, Chalana, Quique Flores e Jorge Jesus (actual trienador).
Percurso:
Rosario Central (Argentina) e Sport Lisboa e Benfica (Portugal; actual)


O que dizem sobre ele

“(…) Parece um santo, mas não é [risos].”
, Riquelme.

“Ele pode jogar em qualquer liga europeia (…) pois os bons jogadores jogam em qualquer lado, sem grandes dificuldades.”
, Fabricio Coloccini.

"Di María é um perfume do futebol português e tomáramos nós que houvesse muitos Di Marias em Portugal.", Jorge Jesus.


Palmarés

  • No Benfica
Torneio Cidade de Guimarães
Ano: 2008

Carlsberg Cup
Ano: 2008/2009

Torneio do Guadiana
Ano: 2009

Torneio Cidade de Guimarães
Ano: 2009

Torneio de Amesterdão
Ano: 2009

Eusébio Cup

Ano:2009


Canadian National Exhibition CUP

Ano: 2009

Carlsberg Cup
Ano: 2009/ 2010

Campeão Nacional
Ano: 2009/ 2010

Campeonato do Mundo Sub-20

Ano: 2007

Jogos Olímpicos de Pequim
Ano: 2008


Site Oficial
Ser Benfiquista


A BOLA
AS.com
O JOGO
Record
MaisFutebol


Abran Cancha
A Catedral da Palavra
A Fita Gloriosa
Alan Kardec 31
Benfica é uma paixão
Benfica Videos
Benfica, a chama imensa!
Camisolas SLB
Coluna d'Águias Gloriosas
Coração Encarnado
David Luiz 23*
Encarnado e Branco
Fellipe Bastos 13
Fábio Coentrão 18
Flávio Meireles 26
Gloriosamente Falando
Javi García Fans
Léo, o pequeno Rei
Loucos pelo SLB
Miguel Veloso 24
Novo Benfica
O Antitripa
O Belo Voar da Águia
Pablo Aimar
Riquelme Locura
Ruben Amorim
Somos Benfica
Sport Lua e Benfica
Vermelhovzky


Cristiano Ronaldo
Daniel Alves
Juan Roman Riquelme
Maxi Rodriguez
Site Oficial – Nuno Gomes
Site Oficial – Simão Sabrosa
Soccer World Cup Live
Vamos Argentina


 

 

Palabras de Hermana 

 

 

 

Clica aqui

 

 

Fã nº1

 

Thaís Eisenberg

I20

 


- Julho 2010

- Junho 2010

- Maio 2010

- Abril 2010

- Março 2010

- Fevereiro 2010

- Janeiro 2010

- Dezembro 2009

- Novembro 2009

- Outubro 2009

- Setembro 2009

- Agosto 2009

- Julho 2009

- Junho 2009

- Maio 2009

- Abril 2009

- Março 2009

- Fevereiro 2009

- Janeiro 2009

- Dezembro 2008

- Novembro 2008

- Outubro 2008

- Setembro 2008

- Agosto 2008

- Julho 2008

- Junho 2008

- Maio 2008

- Abril 2008