Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009
Benfica impõe-se em Guimarães
O Benfica venceu esta noite o V. Guimarães (2-0) e conquistou o Torneio Cidade de Guimarães, com duas vitórias em outras tantas partidas.

Numa partida sempre disputada a ritmo intenso, o Benfica não acusou o facto de ter entrado em campo com uma equipa muito diferente da da véspera, logo sem muitos dos prováveis titulares ao longo da temporada.

Mantendo forte consistência defensiva e intensa pressão sobre os adversários quando estes tinham a bola, a equipa de Jorge Jesus acabou por chegar com naturalidade à vantagem, à passagem dos 39 minutos, através de Weldon, que já na primeira partida do torneio tinha marcado na goleada ao Portsmouth.

No segundo tempo e apesar da réplica vimaranense, o Benfica voltou a marcar, desta vez por Ruben Amorim, após jogada fantástica de Aimar e Saviola.

Com esta vitória, o Benfica conquistou a terceira competição de pré-temporada, depois dos torneios do Guadiana e de Amesterdão.

Ficha de jogo:

V. GUIMARÃES: Nilson; Alex, Sereno, Moreno e Milhazes; Flávio Meireles, Custódio, Desmarets, Rui Miguel, Nuno Assis e Douglas
Suplentes: Cláudio, Mendieta, Dinis, Carlitos, Targino, Roberto, Jorge Gonçalves, Diogo, Santana, Andrezinho, Marquinho, Serginho, João Alves e Tiago.

BENFICA: Moreira; Patric, Luisão, David Luiz, Shaffer; Carlos Martins, Yebda e Urreta; Weldon, Nuno Gomes e Fábio Coentrão.
Suplentes: Moretto, Ruben Amorim, Javi Garcia, Cardozo, Mantorras, Aimar, Keirrison, Roderick, Di María, Sidnei, Miguel Vítor e Saviola.

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Milhazes (30), Nuno Assis (62) e Nilson (65); a Luisão (30), Carlos Martins (60) e Sidnei (84)

Golos: Weldon (39), Ruben Amorim (64)

Ao intervalo: 0-1
Fonte: A Bola
Avaliações
Di María, Aimar e Saviola - Impossível discrimar e dissociar uns dos outros. O trio argentino baila tango no ataque, combina de olhos fechados e com rapidez surpreendente. O ataque encarnado passa por aquilo que Aimar, Saviola e Di María fazem e que, normalmente, um paraguaio conclui (não foi o caso este domingo). O camisola dez fez jogada soberba no 2-0, o camisola 30 uma assistência primorosa para Ruben Amorim e o 20 não desliga o motor e joga em alta rotação, sempre a criar desequilíbrios.
Patrícia às 18:35
link do post | comentar | favorito