Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009
Benfica 5 - 0 Everton

@ SL Benfica

 

O jogo frente ao Everton não era determinante, segundo Jorge Jesus. Ainda assim existia a certeza de que uma vitória iria renovar esperanças e que um mau resultado podia ter efeitos negativos que iam além da pontuação. O Benfica goleou o Everton, por 5-0, e poderá encarar os próximos três jogos com optimismo.

 

 

David Moyes chegou «impressionado» e deve ter saído ainda mais. O treinador do Everton disse, antes da partida, que via «um novo Benfica, atacante e excitante». Realmente foi isso que se pôde ver durante a segunda parte do encontro da Liga Europa.

 

Os encarnados atravessam um bom momento na Liga, a Luz tem sido palco de goleadas, mas na Europa o conjunto orientado por Jorge Jesus vinha de uma derrota, frente ao AEK. Por isso, o discurso de Jorge Jesus foi no sentido de acautelar os adeptos para todas as possibilidades. O técnico pareceu querer evitar euforias, mas também o medo de fracassar na montra europeia.

 

Jesus fez alterações no onze, em relação ao jogo da Taça, frente ao Monsanto. Luisão, Cardozo, Ramires, Aimar, Di María e Saviola regressaram ao onze. Júlio César mantém-se na baliza nas partidas da Liga Europa.

 

Durante a primeira parte existiu algum equilíbrio, mas o Benfica mostrou alguma superioridade perante o adversário. Uma diferença mínima que valeu um golo, aos 14 minutos. O cruzamento foi de Di María e Saviola marcou. Os encarnados mostraram-se mais perigosos e Tim Howard e o sector defensivo tiveram mais trabalho que Júlio César.

 

Para além de a defesa do Everton se mostrar bastante eficaz, durante a primeira parte, faltou algo ao Benfica. A luta e a vontade estavam lá, mas faltou o entusiasmo ou a capacidade de entusiasmar quem se deslocou ao estádio.

 

O intervalo chegou com os encarnados a vencerem por 1-0. Um resultado perigosamente escasso, mas que se aceitava. O Everton mostrou querer discutir o resultado, ainda que não tivesse criado ocasiões de golo. Aí foi onde o Benfica desequilibrou. Criou oportunidades (ainda que escassas). Marcou. Foi mais eficaz.

 

@ SL Benfica

 

O que terá feito Jesus?

 

Não se sabe o que Jorge Jesus disse aos seus jogadores durante o intervalo. Mas pouco importa. O mais importante é que resultou. Os encarnados entraram com tudo. Só deu Benfica. Em sete minutos a equipa da casa marcou três golos.

 

Aos 47 minutos, Aimar segurou o tempo suficiente para dar a bola a Saviola, que cruzou para Cardozo finalizar. O 3-0 surgiu no minuto seguinte, através do paraguaio. Di María cruzou para o camisola 7 marcar de cabeça.

 

Aos 52 minutos, Luisão subiu para ajudar a ampliar os números, numa altura em que a Luz festejava, fazendo lembrar outras noites europeias. Volvidos quatro minutos o marcador poderia ter passado para 5-0. Di María, que fez uma grande exibição, atirou à trave. O argentino esteve perto de fazer um grande golo. Merecia fazê-lo.

 

Goleada à antiga

 

Aos 83 minutos surgiu o 5-0. Grande trabalho de Di María, na esquerda, e Saviola facturou mais um golo. O Everton tentou o tento de honra, aos 79 minutos, mas Saha atirou ao poste.

Os encarnados conseguiram o melhor resultado de sempre frente a equipas inglesas, na Luz - em 1961/62 o Benfica bateu o Tottenham por 3-1. Mas mais importante que isso, o Benfica garante seis pontos e lidera o Grupo I, já que o AEK Atenas perdeu com o BATE Borisov.
 

Fonte: MaisFutebol

 

@ SL Benfica

 

Avaliações

 

 

Di María - Dizem que os ingleses são bons no jogo aéreo. Di María provou-lhes que também é preciso saber jogar a bola no chão. O esquerdino número 20 foi um verdadeiro diabo vermelho à solta na Luz. Numa mudança acima do resto da equipa, Di María desequilibrou o encontro para os encarnados, depois das emoções da qualificação para o Mundial-2010 e o descanso merecido na Taça de Portugal. O cruzamento para o primeiro golo de Saviola foi primoroso, bem medido, sobretudo. Mais do que isso, retirou poder aéreo aos ingleses e foi direitinho ao pé direito do compatriota. Tal como o cruzamento para o 3-0, certinho para a cabeça de «Tacuara» Cardozo. Uma partida gigantesca, com um pouco de tudo, dribles, assistências, remates à trave e um excelente trabalho defensivo. P.S.-sem esquecer mais um passe mortífero para o segundo golo de Saviola. (in MaisFutebol)
 
Di María, 9 - Justificou, e de que maneira, o bilhete pago pelos quase 40 mil adeptos, e só lhe faltou o golo. Rápido, incisivo, arrancou vários cruzamentos venenosos e até parecia que ia de mota quando ganhou espaço para oferecer o 3-0 a Cardozo. Entre pormenores deliciosos, atirou à barra, e montou-se novamente na mota para entregar de bandeja o 5-0 a Saviola. Memorável. (in O JOGO)
 
Di Maria – Começou a partida do lado direito do ataque, arrancando uma falta logo nos primeiros segundos. Estava dado o mote para uma boa exibição. O argentino rapidamente passou para o flanco esquerdo e a esta hora o defesa-direito do Everton, Dan Gosling, ainda deve estar com dores nos rins. Além de fazer os cruzamentos para três dos cinco golos do Benfica, o número 20 do plantel esteve muito perto de fazer o gosto ao pé aos 54 minutos. O remate do sul-americano esbarrou na trave. (in SL Benfica)
 
@ SL Benfica
 
Declarações
 
 
Di María: «Golos foram surgindo naturalmente»
 
O argentino Di María foi uma das figuras do Benfica no encontro em que os encarnados golearam (5-0) o Everton e fez questão de salientar que a turma da Luz fez "um grande jogo", admitindo ter feito "uma boa exibição" porque o treinador "lhe transmite confiança".
"Entrámos muito fortes na segunda parte e os golos foram surgindo naturalmente, o que tornou tudo mais fácil", referiu o extremo benfiquista, sublinhando que isso "aumentou a confiança e motivação" da equipa.
O internacional argentino salientou ainda que o Benfica "deu um grande passo" para seguir em frente na Liga Europa, colocando-se na liderança do Grupo I, em igualdade com a equipa inglesa.
Fonte: Record
Patrícia às 18:33
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De GIL VICENTE a 23 de Outubro de 2009 às 21:14
Grande análise e grande crónicaq, Patrícia.

O treinador do Everton começou a ficar admirado e acabou ainda mais admirado.
E nós eufóricos!

Beijinho, Patrícia
De Viriato de Viseu a 23 de Outubro de 2009 às 23:16
O DI MARIA está em grande.
Faz sorrir todos os Benfiquistas e a menina dona deste blogue então...está felicíssima e tem fortes razões para tal.

JOKAS

comentar post