Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009
Notícias e Destaques

Di María e o golo de letra: «Só uso o pé direito para andar...»

 

O jogador do Benfica fala da «rabona», expressão em castelhano para o golo do letra e mostrou-se muito contente por, pela primeira vez, ter marcado dois golos no mesmo jogo.

«A equipa jogou bem, fizemos uma grande partida. Nunca tinha feito dois golos num jogo só pelo Benfica, fico contento porque muitos jogadores demontraram que querem um lugar na equipa», disse à flash-interview da Sic.

Di María explicou depois o segundo golo do Benfica, em que correu pela direita, tirou um adversário do caminho e rematou com o pé esquerdo: «Se fosse outro talvez chutasse com a direita, mas como só uso o pé direito para andar, quis fazer a «rabona» e como estava com uma luz diferente, quis fazer o golo.»

Sobre as hipóteses de ir longe na prova, Di María sublinhou que o Benfica só perdeu um jogo até agora, em Atenas, e que a equipa «pode chegar longe». «Temos de passar qualquer adversário para podermos chegar a campeões, por isso é igual quem calha a seguir, o que queremos é poder ganhar. Quanto à minha semana, já passou, foi um erro que cometi, mas agora estou feliz porque pude jogar, o que se passou é passado.»

Fonte: A BOLA

 

@ Daylife

 

Destaques

 

"Inaugurou o marcador no final da primeira parte com alguma felicidade, mas foi no segundo tempo que abriu o livro. Aos 54 minutos, o internacional argentino começou para fazer um belo chapéu ao guarda-redes Saja, mas a bola acabou por esbarrar infelizmente na trave. Mas o grande momento de Di María aconteceu aos 73 minutos, altura em que surgiu em velocidade pela zona central do terreno. O número 20 fintou um adversário e, na saída de Saja, fez um pontapé de ‘letra’. Uma autêntica obra-prima e que merece ser vista e revista pelos amantes do futebol.", in SL Benfica

 

@ Daylife

 

"«Oito ou oitenta». O argentino tem potencial e já fez grandes exibições, esta temporada. No entanto, a partir de determinada altura, as suas prestações voltaram a ser inconstantes. Em cima do intervalo, Di María fez o 1-0, com um grande golo. Um remate cruzado, da direita, fez o público festejar. Mas, poucos minutos antes, o camisola 20 não teve uma atitude bonita. Esbracejou e reclamou de uma decisão do árbitro. Ou seja, «colocou-se a jeito» para ser advertido, uma infantilidade - ser jovem já não pode servir de defesa para um jogador que cumpre a sua terceira época de águia ao peito. Aos 55 minutos podia ter feito mais um grande golo. O argentino recebeu de Nuno Gomes e tentou o chapéu a Saja. A bola bateu na trave. Aos 73 minutos, Angel Di María bisou, depois de um bom passe de Carlos Martins e de ter tirado um adversário da frente. Aqui e ali, o argentino «brindou-nos» com boas jogadas de futebol.", in MaisFutebol

 

"Reconciliação com golo de letra - Começou como número 10, tentando dinamizar o ataque, mas parecia estar ausente do jogo até ao momento em que inaugurou o marcador com um remate bastante colocado, junto à quina da área ateniense. Até aí, Di María efectuara apenas uma grande abertura para Weldon rematar ao lado. Depois... a Luz viu o verdadeiro Angelito em acção. Aos 54', entrou na área grega, mas o chapéu a Saja esbarrou na trave. Aos 73', teve lance genial: assistido por Carlos Martins, deu um nó em Georgeas e sentenciou a partida com um remate de letra! Apesar de revelar ainda algum individualismo em demasia, depois da infantil expulsão em Olhão que o retirou do clássico Di María redimiu-se e voltou a reconciliar-se com o público encarnado", in O JOGO

Patrícia às 17:12
link do post | comentar | favorito